Consulta pré-concepcional: tão importante mas ainda tão negligenciada

Consulta pré-concepcional: tão importante mas ainda tão negligenciada

É do conhecimento atual que toda a intervenção de promoção da saúde e prevenção da doença que precede uma gravidez, isto é, todos os cuidados pré-concepcionais trazem benefícios. Benefícios esses que se irão expressar não só na saúde da mulher em idade fértil como na saúde do seu filho(s) e, num ponto de vista mais abrangente, nas diversas etapas de vida de um individuo, fruto de uma gravidez planeada e sem intercorrências.

Embora o entusiasmo possa ser grande quando se pensa ter um filho, a gravidez para além de desejada deverá ser planeada. Para tal é necessário escolher o momento ideal, ou seja, conhecer e controlar os riscos antes e durante a gravidez garantindo a saúde da mãe e do pai e o bom e seguro desenvolvimento do bebé.

A consulta pré-concepcional é assim o momento ideal para discutir e implementar hábitos de vida saudáveis e modificar comportamentos danosos para a mãe e bebé.

O que são então cuidados pré-concepcionais?

Segundo definição da OMS, os cuidados pré-concepcionais consistem em prestar cuidados biomédicos e fornecer intervenções comportamentais e sociais a mulheres e casais antes de ocorrer a concepção. Tem como principal objetivo melhorar o estado de saúde, reduzindo o impacto de fatores comportamentais, individuais e ambientais que contribuam para resultados prejudiciais à saúde materna e infantil.

Já segundo a Direção Geral de Saúde, na sua Circular Normativa nº 2/DSMIA de 16/01/2006 refere que:

“Promover a saúde no período pré́-concepcional é uma forma de contribuir para o sucesso da gravidez, uma vez que muitos dos fatores que condicionam negativamente o futuro de uma gestação, podem ser detectados, modificados ou eliminados, antes que a mulher engravide e, portanto, recorra à vigilância pré́-natal. A avaliação pré́-concepcional do risco é, assim, um aspecto cada vez mais importante dos cuidados pré́-natais, (…). O período de maior sensibilidade ambiental para o feto situa-se entre os 17 e 56 dias após a fecundação, período em que começa a organogénese, antes mesmo que muitas mulheres reconheçam que estão grávidas ou tenham a oportunidade de iniciar os cuidados pré́-natais. “

Desta forma, os grandes objetivos da consulta pré-concecional e dos cuidados pré-concecionais são:

  • Identificar potenciais riscos para a mãe, feto e gravidez
  • Educar a mulher sobre os riscos envolvidos, opções de intervenção e gestão dos mesmos e alternativas reprodutivas
  • Iniciar intervenções que originem resultados ótimos de saúde para a mãe e feto durante toda a gravidez. Estas intervenções incluem aconselhamento motivacional, optimização do controlo de doença crónica e referenciação ao especialista se necessário.
  • Inicio precoce da vigilância pré-natal
  • Diminuir as taxas de morbilidade e mortalidade materna e neonatal

Medidas praticas a adoptar pela mulher em conjunto com o seu médico de família antes de engravidar:

  • Analisar intervalo recomendado entre gravidezes
  • Avaliar aspectos psicológicos, familiares, sociais e financeiros relacionados com a gravidez
  • Avaliar estado nutricional, hábitos alimentares e estilos de vida
  • Reconhecer a importância da vigilância pré-natal, precoce e continuada
  • Determinar o risco concepcional tendo em conta a idade, fatores genéticos de ambos os progenitores, doenças crónicas, estado nutricional e hábitos de vida, consumos.
  • Ter consciência dos possíveis efeitos na gravidez das condições médicas crónicas existentes
  • Iniciar suplementação com ácido fólico e iodo
  • Fazer registo de calendário do ciclo menstrual
  • Programar a interrupção do método contraceptivo
  • Realizar acompanhamento especializado em situações de risco.
  • Realizar rastreio e teste de imunidade de doenças infecciosas mediante análises de sangue (Toxoplasmose, Sífilis, VIH, Hepatite B, Rubéola e Citomegalovirus)
  • Determinar o grupo de sangue e despistar doença sanguínea
  • Verificar se vacinação está atualizada
  • Realizar rastreio do cancro do colo uterino se realizado há mais de 1 ano
  • Realizar rastreio de doenças periodontais

Mas os cuidados pré-concepcionais não se resumem a intervenções dirigidas à mulher em idade fértil que quer ter filhos. Também o homem que tem esse desejo em conjunto com a sua companheira, deve ser alvo de intervenções que melhorem o planeamento familiar e sejam origem de uma gravidez saudável e bem sucedida. Para além disso, os cuidados pré-concepcionais oferecem também ao homem a oportunidade de prevenir a doença e promover hábitos de vida saudáveis.

Sabe-se que em países como os EUA e em diversos países Europeus, onde se inclui Portugal, apenas cerca de 50% das mulheres grávidas realizaram consulta pré-concepcional, percentagem esta que é ainda extremamente baixa para que sejam alcançados objetivos globais de saúde para toda a comunidade.

Resumindo, toda a mulher em idade fértil e que deseje engravidar deverá consultar antecipadamente o seu médico de família e estar informada sobre todos estes fundamentais cuidados.

 

Fez consulta pré-concepcional?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Mafalda Pires

Médica Interna de Medicina Geral e Familiar

Deixe uma resposta
Posts relacionados